Gilberto Rodrigues Menezes

por arp publicado 19/02/2016 12h44, última modificação 19/02/2016 12h44

GILBERTO RODRIGUES MENEZES

nasceu aos 26 de abril de 1923, no Povoado de Pindoba Grande, município de Viçosa, filho do agricultor Antônio Rodrigues Menezes e Otília Jertudes Maria da Conceição.

Não tinha condições financeiras, foi criado comendo mingau de açúcar, sem condições de comprar o leite. Com oito anos de idade (1934) seus pais mudaram-se para a Cidade de Capela, onde tiveram oportunidade de trabalhar em um engenho de açúcar por nome “Flexa”, que tinha como dono o Senhor Tóte. Ganhavam muito pouco, seu pai ganhava 1000 reis, ele 400 reis, que correspondiam os dois juntos em um total de R$ 1,40 centavos hoje.

Seu pai abandonara sua família em (1944) deixando quatro irmãos para sustentar passando assim a ser o responsável por toda a família.

Entrou na Polícia Militar em 1947, mas tendo em vista não saber ler, foi excluído. Ele, tomando uma importante decisão de falar com o Comandante, contou-lhe toda sua história: tinha quatro irmãos de menor para sustentar, dentre eles havia duas irmãs de menor. Foi quando o Comandante o mandou para a Escola Regimental da Polícia Militar. Aos oito meses, já sabia ler e escrever, em seguida, mandaram-no para Penedo, que teve a oportunidade de fazer admissão para o Ginásio com o Bispo Dom Fernando Costa e o Padre Guimarães. Precisava casar-se, e queria uma moça que soubesse ler e escrever.

Casou-se com a jovem Maria Avelina dos Santos (1948), passando assim a se chamar: Maria Avelina Menezes. Desta união, tiveram oito filhos: sete mulheres e um homem.